Essa dor, o que é? | Crônica

As vezes sinto uma dor no lado esquerdo, próximo ao coração.
Nem me vem com melosidades falar que é paixão, amor e etc. Essa dor é causada por medo, é causada por preocupação.
Eu não estou tendo nenhum ataque cardíaco, não tenho pressão alta e nem problemas de coração -amém- mas tem dias que minha mente está cansada e ela desconta no meu corpo.

Existem momentos na vida que você se encontra meio perdido, sem saber qual direção tomar, que caminho seguir, a que velocidade e todas essas coisas relacionadas a caminho que você já sabe, e na tentativa de manter sua menta sã, você esconde essas coisas, tenta manter a calma quando todo mundo ao seu redor está enlouquecendo, tenta transmitir calma para todas essas pessoas e por diversas vezes consegue... mas eu imagino que é como se fosse em um jogo, sabe? Tem a barrinha do otimismo e da calma, tem a barrinha da saúde mental e a da saúde física, provavelmente também existem barrinhas para realizações e dinheiro. A medida que o dinheiro diminui, as realizações diminuem também (no caso de pessoas que não são ricas, claro) e com isso começam os conflitos e na tentativa de manter a barrinha de saúde mental e física cheias você começa a liberar o antídoto, que é a calma e o otimismo. Mas quando as pessoas ao seu redor, que você ama também estão quase com suas barrinhas esgotadas, você começa a liberar seus otimismo e calma para eles a ponto de sua barrinha esvaziar e por fim sua saúde mental e física irem para o beleleu.
Essa conversa talvez seja um pouco cansativa para você que nunca passou por isso e está lendo, mas acredite... é bem real na vida de muitas pessoas. E para os que tem dinheiro normalmente acontece um fenômeno em que a barrinha de realizações e dinheiro estão muito cheias porque eles gastaram todo o otimismo e calma para enchê-las... só que gastaram tanto que a saúde física e mental tiveram que ser dedicadas para manter essas barrinhas cheias e no final elas ficaram muito cheias e não valeu a pena.

Algumas coisas podem ser feitas para preencher novamente as barrinhas de calma e otimismo e normalmente coisas que dão prazer; cozinhar, jogar bola, assistir filmes, ler livros, conversar, viajar, ajudar pessoas, escrever...
As barrinhas se enchem e você fica novinho em folha, pronto para uma nova batalha na vida.

Ninguém NUNCA disse que viver era fácil e que a vida não teria problemas. Viver poderia ser tranquilo e fácil se não houvessem tantas pessoas complicadas por si sós. Eu mesma não sou a pessoas mais descomplicada do mundo, mas tem gente tão pior. E a única coisa que quero fazer é me descomplicar cada vez mais, aprender com meus erros, melhorar, ajudar pessoas, fazer o bem, e parar de querer me comparar com os outros achando que eles são piores que eu.

Tenha calma, ok. No final tudo fica bem.
Não existem vitórias sem guerras.
A vida sem lutas diárias é excelente, mas é pouco satisfatória. Elas nos fazem mais fortes.

2 comentários:

  1. Quando comecei a ler sobre a dor nem pensei em amor, mas sim em ansiedade.. ah, eu sofro muito com isso, tento sempre está otimista e passar isso para os outros, mas é super cansativo às vezes e então chega os momentos de buscar os oásis da minha vida: Jesus, o ouvido do marido, mãe (vó), os livros ♡.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz e triste que se identificou. Triste porque apesar de eu nunca ter sofrido com ansiedade, eu sei o quão difícil e doloroso pode ser para quem tem. Mas ao mesmo tempo a gente encontra os escapes né?
      Sempre que eu me sinto um pouco mais pra baixo, procuro sempre Jesus, os livros, filmes... hobbys.
      Obrigada por estar por aqui. <3

      Excluir

Deixe aqui seu comentário! o/

P.S.:¹ Leia o post antes de comentar :D
P.S.:² Seja sempre respeitoso e educado, ou seu comentário será removido. :B