Confissões de Elizabeth

O toque macio, suave, quente.
O cafuné nos cabelos, suavemente.
O entrelaçar de dedos, enquanto caminha. Ou mesmo estando sentados.
O sorriso torto encantador.
O olhar marcante, avassalador.
Nada disso, nem mesmo quando você tira os meus cabelos do rosto e passa por trás da minha orelha, me faria amar tanto você quanto você mesmo.
Porque o teu carinho acalenta, mas seu caráter é que me atrai.
A sinceridade, quando preciso.
O olhar carinhoso quando estou sendo idiota.
O sorriso malandro quando está me irritando.
O companheirismo quando mais preciso.
Quando, eu, imaginaria que chorar no ombro de alguém seria tão reconfortante, tão bom.
Não tem nada melhor que poder segurar tuas mãos enquanto caminho, me sinto segura. Me sinto firme, sinto que sou invencível.
Como eu sou otária.
Sou tudo o que jurei que não seria.
Estou falando e sentindo tudo o que critiquei e estou rindo de mim mesma agora. Porque eu simplesmente não ligo. Não ligo de falar, não ligo de ficar horas olhando pra você.
E quando você me abraça? Eu não quero mais largar. O tempo para e todo aquele tempo é pouco.
Quero sentar com você, planejar nosso futuro. A casa em que vamos morar, as tarefas domésticas que vamos dividir, os lazeres que iremos frequentar.
Estou ansiosa mesmo para nossas brigas, porque eu sei que elas só nos fortalecem e nos fazer amar mais ainda.
Obrigada por ser tudo isso, porque me fazer pagar a língua, coisa que faço com prazer, porque no momento sou a pessoa mais feliz do mundo.

Elizabeth...

0 comentários:

Deixe seu comentário

Deixe aqui seu comentário! o/

P.S.:¹ Leia o post antes de comentar :D
P.S.:² Seja sempre respeitoso e educado, ou seu comentário será removido. :B