Depois dos Quinze - Bruna Vieira | Resenha

Oii gente! Mais uma resenha!
Esse livro não tem muito o que resenhar porque ele não conta uma história (estória) com início, meio e fim como a maioria... Esse é um livro de Crônicas e Contos da Bruna Vieira. Foi o primeiro livro dela e foi uma espécie de compilado de posts do blog dela o +Depois Dos Quinze por Bruna Vieira :)
Mas ele tem umas coisas interessantes que eu quero mostrar; eu fiz diversas marcações (como podem ver na imagem) e quero compartilhar com vocês as partes que mais gostei.
Então essa postagem vai ser basicamente isso mesmo, mostrando trechos do livro que eu gostei, e que fiquei com vontade de compartilhar.

capa do livro


Mas antes, vamos falar de alguns aspectos físicos do livro?
Ele possui 200 páginas, amareladas e beem grossas, ótimas para manusear e que facilitam a leitura.
No centro do livro temos várias fotos da +Bruna Vieira com trechinhos de seus textos. As fotos estão coloridas e com uma qualidade muito boa.
A fonte (forma e tamanho) e o espaçamento são muito bons! A Editora Gutemberg caprichou nesse primeiro livro da Bru. Eu gostei muito da qualidade dele.












Na capa a gente vê a imagem da Bruna com a Zoey (cachorrinha dela) e São Paulo ao fundo, que representa um pouco da história dela. Mas o principal são as andorinhas voando... elas estão em alto relevo e eu achei elas lindas! Elas estão tatuadas no braço da Bruna e para ela significam a liberdade que ela encontrou, quando aos 17 anos ela saiu de sua cidade no interior de Minas e foi para São Paulo Capital tentar a vida e podemos dizer que ela teve bastante sucesso nisso. Não foi fácil, claro, mas foram experiencias que formaram a Bruna de hoje.



Acho que foi só isso de aspectos físicos. Fiquem com trechos que gostei, não são todos, mas pelo menos alguns. heheheh

"Pra mim, as pessoas têm uma concepção meio errada do que é eterno. Para sempre não quer dizer que isso ou aquilo vai durar pelo resto de seus dias, quer dizer que você nunca esquecerá." (P. 118)





"Volte a ser aquele garoto ingênuo que conheci há alguns anos, mas só às vezes. Te garanto: assim como eu, algumas pessoas merecem conhecer esse lado seu. Tente também sorrir mais e ligar menos para o que vão pensar. Má notícia: sempre vão dizer alguma coisa. Entre tais verdades e mentiras, acredite em quem realmente ama você. Poucos, mas quase sempre o suficiente." (P. 51)






"Certa vez me perguntaram quando e por que comecei a escrever. [...] Através da escrita, eu me livro do que já não me serve, me lembro do que ficou, do que não foi e penso no que ainda pode ser. Aquelas e estas palavras são tão minhas, tão nossas, agora voam livres sem destino certo por aí. Essa é a sensação que fica. Não molha como lágrima, nem incomoda como um grito, mas preenche sempre o vazio que motiva. Algumas coisas precisam ser escritas para serem entendidas." (P. 61)






"Pobre moça, conhece todos os lugares do mundo, menos o mais importante, onde mora a felicidade: o seu próprio coração. Às vezes penso, até que, quando era mais nova, lhe disseram que todos devem ser alguma coisa quando crescerem. Então, entre todas as coisas que poderia ser, essa jovem moça escolheu ser saudade. Ser falta, o motivo e a rima de versos como esses. Que são escritos a todo instante por caras como eu. Caras que foram deixados para trás, que ficaram no reflexo do retrovisor, querendo sempre dizer uma última coisa: deixa disso de uma vez, menina.Vê se dessa vez fica quieta em você, quando é que vai aprender que, neste nosso mundo, amar sem amor é besteira e faz doer? Não vale o texto publicado." (P. 50)





"Pessoas complicadas geralmente nos prendem. Já pessoas simples nos deixam ir para onde precisamos ir. Elas não precisam de tantas explicações, sabe?  Simplesmente continuam vivendo e continuam lá. Em algum lugar onde vamos sempre alcançar. Independentemente do tempo, da distância ou do que for. Pessoas complicadas estão ocupadas tentando parecer ocupadas. E, por mais que isso seja irresistivelmente misterioso, no final das contas, são só pessoas perdidas em suas próprias escolhas e consequências." 
Minha parte preferida. Eu sou simples demais gente... Sério.


Classificação:
 
Eu até daria mais estrelas, mas demorei pra caramba pra terminar de ler (três semanas) por causa que como não tem uma estória e tal, eu lia uns contos hoje, dai lia daqui a dois dias mais uns, depois lia umas crônicas e depois de dois dias lia mais... mas não começava a ler e ficava querendo mais... por conta que não tem um início, meio e fim... mas fora isso os contos e crônicas contidos no livro são ótimos e com certeza vários versos deste vão para meu Livro de Marcar Livros que comprei na Bienal do Livro daqui de Pernambuco. Yeeey!

Onde comprar? Saraiva | Cultura | Submarino | Americanas | Amazon (ebook) | Estante Virtual (sebo)
Faixa de preço: R$17 - R$30


2 comentários:

  1. Hey!
    A Bru Vieira é tão amorzinho <3 Essa capa é um amor, as fotos que estão no livro *-*
    Fiquei bem animada pra ler esse livro depois dessa resenha! Ótimos trechos você selecionou :D

    Beijos!
    http://heartbreaker-girls.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Luiza!
      Fico feliz de ver visitantes por aqui! É bem raro (principalmente dos que comentam! hahah)
      É sim, a Bru é um amorzinho mesmo! <3
      Fico feliz que tenha gostado e que a resenha tenha te deixado com vontade de ler. De verdade!

      Beijos! :*

      Excluir

Deixe aqui seu comentário! o/

P.S.:¹ Leia o post antes de comentar :D
P.S.:² Seja sempre respeitoso e educado, ou seu comentário será removido. :B