Recado aos pais...

Não posso falar representando os pais, afinal eu não sou mãe. E pelas reclamações de diversos pais, duvido que eu queira tão cedo 
As vezes eu posso observar, principalmente em meio aos meus amigos e amigas, que muitos possuem problemas com os pais. Não quero dizer que os filhos são os certos nas ocasiões, em verdade a maioria das vezes eles, nós, estamos errados, enganados ou mesmo apenas não nos importamos.
As discussões e os problemas que acontecem, os motivos pelos quais os filhos brigam com os pais, são tão fúteis as vezes! As vezes poderia ser solucionado de maneira simples e direta, mas quase sempre, não adianta de nada, a discussão continua e trás consigo repercussões no futuro.
Imagino meus pais lendo isso aqui e pensando "o que essa garota tá pensando da vida dela? falar de assuntos familiares no blog?!" e NÃO, não estou falando de assuntos familiares e antes que pensem "olha só, é uma indireta pra os pais dela" NÃO, não é uma indireta para meus pais. As coisas que tenho que falar com eles eu falo pessoalmente e embora, muito embora a nossa relação não seja a relação perfeita pais-filha eu posso dizer que não tenho de que reclamar. 
Mas vamos lá! Você, pai, que tem filhos pequenos, o trabalho que seu filho está dando agora pode parecer enorme pra você mas não se compara com o que será quando se tornar adolescente. Não posso dizer que todos os filhos no mundo dão trabalho, mas cerca de 99% dos pais iniciam seus conflitos com os filhos na adolescência. Quando o filho é uma criança pensa apenas em brincar, e o máximo de trabalho que você vai ter é se ele for hiperativo ou se não gostar de estudar e tiver déficit de atenção. Vez por outra eles ficam doentes mas mesmo assim, são seus filhos lindos que estão crescendo muito rápido, fincando enormes e que você está com medo de perder a infância. Quando chegam na pré-adolescência começam a querem crescer logo, já pensam que são adultos na inocência e que tudo aquilo de ser criança é horrível e é a pior fase do mundo!!! Daí chega a adolescência, os pais começam seus problemas com os filhos desde que acordam até a hora de irem dormir. Eu acredito que tanto os pais como os filhos passam pelas piores fases. Eles acordam mal humorados, sofrem por amores e por amizades, isso atrapalha nos estudos, tem o vestibular, tem as festas e a hora de chegar em casa, tem as más-influencias e tudo o mais. É uma fase estressante.
Muitos pais não sabem lidar com os filhos adolescentes e vivem brigando com eles. Eu não fui uma adolescente que deu muito trabalho a não ser pelos estudos. Eu tinha que estudar aquele negócio de física, química e coisas que eu não gostava!! Pra que eu estou usando isso hoje? Pra nada.
Pois é! Eu já disse que não sou mãe e não posso falar pelos pais mas como uma pessoa que saiu da adolescência há não muito tempo, eu imagino que apenas sentar com o filho, conversar e abrir o jogo teria solucionado os problemas de muitos ali. Tudo bem que tem filhos que são realmente problemas, mas... conversar! Você sabe o que é conversar? Sentar, COM CALMA, e estabelecer um diálogo, sabe? Fazer perguntas, dar respostas, dar explicações, se se alterar e sem estresse. Você se torna o amigo do seu filho e ao mesmo tempo resolve o problema. Esse negócio de os pais gritarem com os filhos só fazem eles ficarem com mais raiva e com vontade de fazer tudo o contrário do que eles dizem, apesar do receio de algo dar errado. Eu vou repetir que isso não tem nada de pessoal aqui, não passei por esse tipo de problemas na adolescência. E quando eu falo de ter calma, não gritar, conversar, eu não quero dizer que os pais devem se humilhar, beijar os pés dos filhos e servir a eles de bandejinha, apenas que muitas vezes essa falta de paciência com seu filho adolescente pode ocasionar um trauma nele. "Ah, que frescura! Se meu filho ficar com trauminha por uma besteira dessas é porque das duas uma: ou não é meu filho ou é drama! Que fique traumatizado, eu só não vou me curvar!" Nossa, tem muitos pais que pensam assim! E sabe de uma coisa? Esse tipo de atitude é copiada por seu filho. Assim como você não se curva, ele vai aprender a não se curvar! "Ah, mas eu sou pai! Ele tem que me respeitar! Ele tem que aprender que eu não me curvo, mas ele sim!" Cara, você já foi adolescente? Você sabe a quantidade de conflitos que os adolescentes passam não é? É um turbilhão de coisas! É uma fase de transição! É como o encontro do rio e do mar. A água fica salobra, muitas vezes forma redemoinhos. Seu filho não precisa que você fique em pé, ereto ao lado dele quando ele está caindo e descendo e passando por problemas... ele precisa que você fique ao lado dele, nem que para isso você tenha que se curvar um pouco. As vezes somente o seu exemplo não vai ajudar, mas suas palavras, o seu conforto, o seu amor podem ajudar os seus filhos a serem melhores e a passarem pela adolescência de maneira mais suave. As vezes, quando o filho sai da adolescência e entra na juventude, é que os problemas começam. Principalmente se eles não passarem no vestibular, não tiverem emprego e passarem boa parte da juventude, que deveriam estar trabalhando, estudando e se preparando para se fixar e ter estabilidade financeira, em sua residência, comendo de sua comida, rindo de sua cara... não posso dizer que é tudo culpa sua, mas muitas vezes isso acontece quando você falha na adolescência. Quando você não deu o suporte que deveria, quando suas atitudes ensinaram eles a outra e coisa e principalmente, quando suas atitudes fizeram com que eles fossem o que são hoje! 
Eu não posso dizer "a culpa de tudo o que o filho é quando cresce, é dos pais!!" porque muitas vezes não é! Muitas vezes a ausência dos pais torna os filhos diferentes e as vezes o mizeravi num presta mesmo e faz tudo errado! Mas acredito, não existe nada que não tenha conserto.

O verdadeiro recado desse post (LOOOONGO, perdoem-me!) é dizer aos pais: Se você tem um filho pequeno, eduque-o. Busque maneiras, métodos, estudos que ensinem você a ensinar seu filho a ser uma boa pessoa. Ajude seu filho a crescer com educação, sabendo respeitar ao próximo, sabendo como reagir quando for agredido, sabendo como ignorar uma pessoa que pratica bullying, sabendo que isso é errado. Não adianta muito preservar a inocência do seu filho, pai... esse mundo aí fora não vai deixar que ela dure muito tempo então, prepare-o! E prepare-se para não se assustar quando ele chegar em casa falando as coisas que os coleguinhas disseram ou que mostraram a ele. Ensine seu filho(a) pequeno(a) a reagir a pessoas estranhas e más. Não adianta deixá-lo acreditar que o mundo é lindo e que as nuvens são algodão-doce para um dia chegar alguém e destruir tudo, e eles descobrirem da pior maneira que as nuvens causam tempestades. Se você tem um filho adolescente saiba que eles já não são mais inocentes. Eles já sabem de tudo o que devem e não devem saber mesmo na pré-adolescência. Apoie seu filho, eduque-o. Caso você tenha falhado em algo durante a infância, tente corrigir de maneira sutil na adolescência. O tempo a gente não pode recuperar mas as vezes alguns erros podem ser reparados. Sempre que seu filho quiser algo sente com ele, converse, saiba quem são os amigos deles (mantendo distância) e busque ser o melhor amigo do seu filho, ou mais pra frente você poderá perdê-lo. É uma festa? "Onde é? Quem vai? Dura até que horas?" são perguntas básicas e apenas básicas mesmo pois depois vocês devem dizer se vai ou não dependendo de onde for, quem for e se ele for, "Quero você de 21h30, no máximo 22h em casa". Esteja sempre por perto. Namoro? Senta e conversa. Amizade? Senta e conversa. E caso o filho seja muito rebelde, você tem que aprender a lidar de maneira calma com isso... Eu não sei se quando vocês eram meros filhos sentiam isso, mas quando meus pais agem comigo de maneira branda, são educadíssimos comigo, explicam as coisas com calma... eu não consigo dizer não pra eles. "Ah, você quer que os pais sejam otários??" Não! Nem quero que sejam nada! Apenas estou dando minha opinião sobre o que é ser pai. É isso que acredito que é ser pai. É ser educado, sem perder a autoridade. É ser líder, não chefe. É dizer e fazer junto, não dizer e ficar olhando. E por fim, se seu filho é jovem ou adulto você tem que estabelecer as regras. Agora você está lidando de adulto pra adulto. "Você tem tal idade, é meu filho e eu amo mas não quero você pra sempre em minha casa. Levante o traseiro e vá atrás de um emprego, estude e seja gente! Eu estou aqui para te apoiar, quer que eu leve seu currículo em algum lugar?" Sim, o maior interesse que ele tome jeito na vida muitas vezes é seu. Ele está confortável, debaixo das asas dos pais, tomando água geladinha todos os dias e comendo comida fresca. Deita, dorme, acorda, toma banho, sai e volta sem muitos compromissos. Está ótimo pra ele! Se você quer que se filho tome jeito de verdade na vida, coloque ele na beira do ninho e empurre. Fique atento para caso ele não consiga bater as asas o suficiente você poder pegá-lo no vento e levar de volta para o ninho, mas assim que ele estiver lá, recuperado do susto, empurre de novo. Uma hora ele vai aprender a bater as asas, e se não aprender, leve ao médico e depois no INSS... com certeza, para tudo há um jeito. Se seu filho já é uma boa pessoa, não deu pra o crime e nem para as drogas, é uma pessoa educada e tem um futuro brilhante se quiser, pare de reclamar dele. Pare de murmurar a Deus perguntando "O que eu fiz?? Por que esse sofrimento?" Porque é tudo uma questão de fardos. Seu fardo não é mais pesado do que você pode aguentar e um segredo... quanto maior o fardo, maior o galardão, caso você suporte até o fim. Então, não reclame de seu filho, apoie ele! Dê uma força, uns conselhos. Sem estresse. Se ele começar a se alterar, você corta a conversa e espera para uma hora em que ele esteja calmo. Como eu já disse, quando os pais se calam e "aguentam" os filhos se sentem culpados, e com certeza eles se arrependem. Acima de tudo, os filhos amam os pais, assim como os pais os ama. É um amor recíproco. Apesar de as vezes as palavras não saírem.
Sei que escrever parece ser mais simples. Sei que muitos pais podem estar me odiando e achando "O que essa imatura e inexperiente sabe sobre ser pai?" e me xingando mentalmente (ou não) mas eu sei que sou filha e que todas as pessoas que conheço são filhas de alguém e sei que tudo o que falei acima, serve. Pode falhar, caso a falha comece na infância e não seja corrigida na adolescência, mas mesmo na fase adulta... sempre há um jeito. Se não há, certifique-se de que sua consciência sobre a criação de seu filho foi boa aos seus olhos e principalmente aos de Deus e depois descanse. Quando a gente faz a nossa parte, o resto se conserta com o tempo. 
Em breve eu farei uma carta aos filhos... por hora, é isso.
Desculpem, eu falo demais. 


0 comentários:

Deixe seu comentário

Deixe aqui seu comentário! o/

P.S.:¹ Leia o post antes de comentar :D
P.S.:² Seja sempre respeitoso e educado, ou seu comentário será removido. :B