Tá com medo?

Você pode sentir medo.
As vezes o desespero vai bater na sua porta insistentemente. Você vai tentar ignorar ele e ele vai persistir em bater, mas você não é obrigado a abrir. Coloque uma música em volume alto e ignore.
O medo serve para te alertar. Ele te salva de morrer por muitas vezes.
Por medo de assalto e assassinato, você evitar sair muito tarde.
Por medo de se machucar você evitar meter a cabeça na parede.
Por medo de muitas coisas você evita muitas coisas e está vivo.
Mas o medo pode te impedir de realizar grandes feitos.
Ele pode te impedir de ir para lugares que sonha ir e de realizar desejos antigos.
O medo pode te impedir de viver momentos maravilhosos.
O medo pode te afastar de pessoas.

Mas o pior medo é o medo de admitir que você tem medo.
Negar com todas as forças que você tem medo de algo não vai diminuir seu medo, apenas reprimi-lo.
Não existem pessoas normais sem medo.
Talvez você esteja com medo do porvir.
Medo das responsabilidades.
Medo de finalmente encontrar o que quer.
Medo de não conseguir dar o que pessoas que dependem de você precisam.
Medo de estar se arriscando demais.
Medo de se arriscar de menos.
Medo de arriscar outras pessoas por algo que você quer.
Medo. Medo. Medo.

E quantas desculpas você vai dar para encobrir seu medo?
Quantas pessoas você acha que engana? Muitas. Talvez... mas não todas.
E o medo de entrar naquela sala?
E o medo de arruinar a vida de quem se ama?
E o medo de simplesmente estar sentindo todos esses medos e não ver escapatória?

Calma.
Vai ficar tudo bem.
Se você não planejou antes, planeje agora.
Você precisa manter a calma.
Você precisa correr para Aquele que pode de fato te ajudar.
E para correr para Ele não precisa nem suar, basta fechar os olhos e pensar.
Entregar teus medos, admitidos e não admitidos.
Descansa.
Encontra soluções.
Descansa sem parar, descansa levantado e agindo.
Faz algo.
Não fica parado.
Não use pessoas.
Não seja egoísta.
Tenha medo, mas não tenha medo.
Amadureça.
Lute pelo que quer.
Abra mão do que você quer.
Pondere seus quereres.
Quantas pessoas dependem de você agora?
Isso te deixa alegre?
Te deixa preocupado?
Mais alegre ou mais preocupado?
Te deixa com medo?
Entre nas mãos dEle.
Faz tua parte.

Tantas coisas para falar e muitas vezes só são liberadas quando começo a digitar.
Porque assim não sou interrompida e o emaranhado de palavras que tenho em minha mente dá uma organizada em algumas frases que podem fazer ou não sentido.
Espero que façam.
Boa sorte na vida.
Conta com Ele.
Conta com ela.
Conta com eles.
Conta comigo.
Deus abençoe a jornada. A nossa jornada.
Vai dar tudo certo.
Não serão apenas alegrias, mas serão mais alegrias.

Paris - Crônica

Final da tarde. 
O clichê, porém lindo pôr do sol se esvai de onde eu estou.
Casais estão sentados em toalhas de piquenique, com os restos de suas refeições logo mais à frente, abraçados, sorrindo e admirando a terra girar e deixar o sol para trás.
Algumas famílias, pais e mães sentados sorrindo enquanto observam os filhos que brincam sem ainda se importarem se o sol está indo embora ou não.
O ventinho bate no meu rosto, balança meus cabelos que estão sempre soltos e trazem o cheiro de flores. 
É primavera... Ali está a confirmação da estação.
Estou sentada em um pequeno café, sozinha, viajando à trabalho, ouvindo todas essas pessoas falar com seus biquinhos e suas "escarradas" palavras que mal entendo, alguns com um jeito grosso e aparentando mal humor enquanto outros parecem apenas requintados e finos.

Abro meu laptop e começo a escrever 
"Sofia estava em Paris, o lugar que tanto queria conhecer. Mesmo adulta se sentia uma criança que recebeu um doce a qual almejava. Era pôr do sol, os turistas se reuniam para fazer um piquenique abaixo da Torre Eiffel enquanto o sol desaparecia na imensidão do céu parisience.

Meus olhos estão fechados, sinto os aromas do lugar. Tem cheiro de flores, café e croissant. Tem um cheirinho de paz.
Eu estou sozinha, mas estou realizada.
Por um momento esqueço de tudo, da vida que tinha antes dessa atual, de quanto tudo aquilo não poderia passar de um sonho... 
Um sonho muito bom.



A quem dar valor? | Aleatórios

Quem está do seu lado agora?
Quanto tempo você quer que perdure?
Quem tem te feito bem?
Quem te faz amadurecer?
Quem te faz abrir os olhos e crescer?
Quem está sempre disponível para você?
Quantas vezes essa pessoa já te deixou na mão?
Quantas te perdoou?
Quantas vezes você não sabia como agradecer?
Quão importante ela tem sido pra você?
Quantas vezes você para para pensar na aparência?
Quantas vezes você vai afastar o pensamento de "algo mais" da mente?
Quem te disse que não tem jeito?

São muitos "Q's" e se as respostas foram satisfatórias, você já sabem a quem deve dar valor.
Me pego pensando nesses tópicos as vezes.
Quem vale a pena? Quem eu sei que posso contar? Quem tá comigo para o que der e vier? Quem eu posso de fato chamar de amigo? Quem eu sei que quero que esteja sempre ao meu lado o resto da vida, mesmo que as vezes estejamos distantes?
Eu consigo responder essas perguntas sem pensar muito.
Ter muitos amigos nunca foi o meu forte, nunca foi o que eu almejava.
Ter amigos leais e com os quais eu sei que posso contar é o que quero.
E óbvio que sempre haverá aquele amigo que te irrita mais que os outros, aquele que fulera com você mais do que você achava que seria possível, aquele que parece que não valoriza a tua amizade mas que tu sabe que ele valoriza e muito, aquele que tá contigo para o que der e vier, aquele que no momento de tristeza da sua vida, você consegue sentir o ombro amigo disponível. Vai ter o amigo que vai te suportar pra tudo e também vai ter aquele amigo que você vai suportar, simplesmente porque você se importa demais como ele para simplesmente desistir dele.

Amizades... Quais valem a pena... Quais devo valorizar... Quais são de fato amizades e não apenas pessoas que recebem o título injustamente?

Esse tema sempre foi uma coisa bem forte para mim. Eu valorizo demais as amizades que conservo, apesar de poucas. Eu sei valorizar. Eu me esforço para saibam que são importantes e especiais para mim. Eu me ponho disponível para tudo e as vezes eu não tenho jeito para dar ou palavras para dizer quando eles precisam, mas eu oro por eles.

Fica esse tema aí, para você refletir.
Quem vale a pena?
Diga a essas pessoas que elas valem a pena e que a amizade delas é importante para você.
Se for difícil para você dizer então demonstre.

O tempo vai e vem, amores começam e acabam, até a família se distancia as vezes, mas os amigos verdadeiros são para sempre.



Esse é o texto de hoje.
Essa semana vai ter vídeo sábado, terça e quinta.

Elefante - Eu já li | Resenha | Livro

O livro Elefante é da Editora (que Deus a tenha) Cosac Naify. É uma editora que infelizmente fechou mas que deixou vários livros legais e de muita qualidade a venda por aí.
Sempre tem promoções da editora no site da Amazon, então... fica de olho no site.

Falando sobre Elefante:
Elefante conta a estória em que o narrador está sonhando e nesse sonho ele se depara com um elefantezinho na mão dele. É um Elefantezinho lindo e que fala. Ele começa a conversar com o bichinho e descobre que ele é filho do sonho e neto do sono. Quem diria ein?


E ele começa a ouvir uma música cantada pela lua que fala de um marinheiro que se jogou no mar ele olha e vê o pequeno Elefante caminhando para a ponta do dedo dele, e o narrador fica com muito medo de o bichinho cair e morrer, mas ao mesmo tempo não quer que o medo de perdê-lo faça com que ele queira limitar e impor ao Elefantinho de fazer o que quer.
E o elefantinho começa a sonhar dentro do sonho e os sonhos do narrador e do elefantinho se tornam o mesmo sonho e o negócio fica surreal.
O pequeno Elefante fala que é feliz quando ele dorme, porque ele sonha. Mas ele não conta sobre os sonhos dele porque diz que se ele contar os sonhos dele, ele não cresce.
O narrador sente um carinho tão grande mas tão grande por esse elefantinho que chega a machucar.
Eu aconselho você a ler o pequeno livro para tirar suas próprias conclusões.



Opinião:
O livro tem um "quê" de filosofia. O elefantezinho representa, na minha opinião, o amor. O narrador está sonhando com o amor, o amor está na palma da mão dele e ele quer cuidar e proteger, mas ao mesmo tempo não quer que ele esteja com ele sem que ele queira. É uma simbologia legal, sobre o amor. Eu gostei bastante, o livrinho tem 16 páginas e eu aconselho você a ler. Criar sua própria interpretação, entender ao seu modo o que aquele elefantinho representa o que representa para o narrador.


Um aleatório do coração

Faz tempo que não paro para escrever, simplesmente escrever com meu coração. Sobre o que se passa por aqui por dentro.
Eu tendo a sentir as mesmas coisas. Mantenho meus sonhos por muito tempo e apesar de eu mudar de vez em quando, eu acredito que minhas mudanças de uns tempos para cá passaram a ser cada vez mais simples e imperceptíveis.
Já escrevi oitentamil textos falando sobre meus sonhos e planos de vida. Minha ideia do que é um trabalho perfeito ou do que é a vida que eu planejo (perfeita em nome, mas obviamente que ela terá seus problemas).
Eu não realizei tantos sonhos na minha vida, mas eu não tenho do que reclamar e sinceramente, eu acho muito legal ter uma lista de sonhos dos quais quero realizar um dia.
A lista não diminui, claro... mas cresce pouco. Talvez cresça mais à medida que eu for realizando.
Tem textos sobre sonhos aqui no blog, se você quiser ler.
Eu particularmente amo viajar lendo os textos em que as pessoas falam sobre os sonhos.

Alguns dias eu queria ser apenas a personagem de um livro, onde eu sei que mesmo ela passando pelos problemas recorrentes no desenvolvimento do livro, tudo vai ficar bem.
Queria ser Elizabeth Bennet, naquela vida pacata no interior da Inglaterra, cheia de irmãs e com uma mãe maluca e um pai paradão. Queria ir para os bailes e ler aqueles livros da época. Queria ir andando até Netherfield Park, ou sair em viagem com meus tios e findar naquelas montanhas... conhecer o senhor Darcy e odiá-lo para depois amá-lo.

Não gosto de idealizar o senhor Darcy.
É certo que Jane Austen não o fez perfeito, senão ele não seria odiado antes de ser amado. Ele tem aquele orgulho e aquele jeitão fechado antes de conhecer.
O senhor Darcy não é alguém específico que as românticas querem, afinal, a pessoa que lê Jane Austen tem inteligência de compreender que ele é fictício. Mas a ideia daquele homem misterioso que tudo o que queria na verdade era fazer feliz a Lizzie.

Tem uma música de Tori Kelly chamada Dear No One, que representa muito minha vida. Eu vou fazer um Música é Vida aqui em breve.

Enfim, comecei a escrever com meu coração e com certeza perdi o foco.
Já falei uma vez que meu cérebro é como vários fios emaranhados e cada um com uma coisa diferente, em diferentes formas e em tempos diferentes... Começar um texto e terminá-lo sem dar sequer uma fugidinha do assunto exige foco, ao mesmo tempo que é prazeroso.


Esse texto foi só um aleatório, que me deu vontade de escrever. Sem pressão, sem problemas.